Passar para o Conteúdo Principal
 
Hoje
Hoje
Máx C
Mín C

Logótipo Pampilhosa da Serra

 

‘Mamã, tenho medo do fogo’ apresentado no Auditório Municipal

Geral
Site 1 1024 2500
15 Dezembro 2018
Decorreu, na tarde de hoje, dia 15, a sessão de apresentação do livro ‘Mamã, tenho medo do fogo, de Verónica Marques. O livro, com ilustrações de Marco Silva, surgiu na sequência dos incêndios de 2017, mas a sua mensagem subliminar estende-se muito para além deste acontecimento de “grandiosidade demoníaca”.

Na sessão, a autora e colaboradora do Município de Pampilhosa da Serra, salientou emocionada, que o livro ali apresentado “é dedicado a todas as crianças do país que passaram pelo trauma dos incêndios”, bem como às suas filhas, especialmente Camila, personagem principal da história e que, segundo a autora, a “motivou a escrever um livro sobre este tema que nos é tão caro, a nós Pampilhosenses, e a tantas outras famílias espalhadas por Portugal”.
Mas mais do que histórias reais, com factos reais, este livro pretende falar sobre os “valores da família, da solidariedade e da generosidade”, tal como manifestou Dulce Simões, professora auxiliar no instituto Miguel Torga e oradora da sessão.

Também Verónica Marques destacou que foram esses os valores vividos pelas suas filhas, “durante o incêndio e nos dias que se seguiram”. Valores esses, “também vividos pela comunidade após os incêndios e que ajudaram as populações a restabelecerem-se depois de um momento tão difícil”, assinalou.

Este é, também, um livro que aborda a importância dos heróis da vida real e que tem o grande mérito de enaltecer “a capacidade que todos nós tivemos em ser heróis, tal como referiu Jorge Custódio, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra. “Se há coisa em que os Pampilhosenses são reconhecidos é pela sua luta, resistência e pela sua resiliência. Depois de vermos 607 casas que foram total ou parcialmente destruídas pelo fogo e ainda assim, no dia seguinte, pudemos ver toda a gente a lutar por erguer o que fora destruído, se isto não é ser herói eu não sei o que é que é”, completou.

Afinal, tal como foi narrado na ‘Hora do Conto’, atividade que abriu a sessão de apresentação da obra, “os heróis são todas aquelas pessoas que ajudam os outros, não é?”. Para a autora, naquela trágica noite, “todos foram heróis, não de fantasia, mas de verdade e, os heróis de Camila, no seu caso a família, estendem-se a tantas outras crianças espalhadas por Portugal fora”.

Jorge Custódio, não deixaria passar a ocasião sem transmitir uma palavra de agradecimento à autora por todo o empenho nesta iniciativa, que “representa muito mais do que um simples livro”. “Demonstrou-nos a todos nós que é sempre possível sair da zona de conforto e fazer mais qualquer coisa em prol da comunidade”, concluiu.
P1060522 1 980 640
P1060524 1 980 640
P1060558 1 980 640

Partilhar