Passar para o Conteúdo Principal
 
Hoje
Hoje
Máx C
Mín C

Logótipo Pampilhosa da Serra

 

Padre Carlos Borges das Neves – Empreendedorismo e Solidariedade ao serviço de Pampilhosa da Serra.

Cultura
Padre carlos borges 1 jpg 1 1024 2500
21 Agosto 2018
Decorreu, no passado sábado, dia 18 de agosto, a cerimónia de celebração do centenário do nascimento do Padre Carlos Borges das Neves, uma organização do Grupo de Amigos do Património Cultural e Ambiental Pampilhosense, com o apoio do Município de Pampilhosa da Serra.

A cerimónia consisitu num colóquio seguido de exposição de tributo ao pároco e teve lugar na Biblioteca Municipal Dr. Fernando Nunes Barata, assinalando a sua vasta e incomparável obra ao serviço da igreja e das comunidades da Beira-Serra.

No discurso que inaugurou a sessão, Dra. Alexandra Tomé, Vereadora do Município de Pampilhosa da Serra, destacou que este tipo de celebrações, ajuda-nos a “preservar a nossa identidade enquanto povo pampilhosense” e, como tal, o “Município não poderia deixar de se juntar a esta iniciativa”. Relativamente ao Padre Carlos Borges das Neves, referiu que o mesmo se constitui como “um dos grandes marcos da vida religiosa do concelho”.

Ao longo da sessão formam múltiplos e emocionados os testemunhos de pessoas próximas ao padre, que acompanharam de perto o seu contributo impar ao serviço da solidariedade e do empreendedorismo, em Pampilhosa da Serra. Para o Padre Ramiro Moreira, Carlos Borges das Neves era um “homem de cultura invulgar”, um autêntico “empreendedor do progresso e do bem-estar em Pampilhosa da Serra”, que procurava incessantemente estabelecer “pontes entre os Pampilhosenses ausentes e o seu concelho”, referiu. Prova disso mesmo, foi a fundação do jornal quinzenal “Correio da Serra”, em parceria com outras personalidades, uma publicação de cariz noticioso, paroquial, cultural e regionalista, criada em 1964.

Tal como foi salientado na sessão, Carlos Borges das Neves, “nutria um amor profundo pela Pampilhosa” que impulsionou a sua dedicação em diversas atividades e melhorias em prol do território, a maioria simbolizados na exposição que se inaugurou após o colóquio, também no Edifício Monsenhor Nunes Pereira. Do obra deixada pelo pároco, constam obras como a reconstrução e construção de capelas, o restauro do Igreja Matriz, a construção do Cristo Rei ou a revigoração da Santa Casa da Misericórdia da Pampilhosa da Serra. Para além disso, foi um dos fundadores da Associação de Bombeiros Voluntários de Pampilhosa da Serra e esteve na génese da criação da Escola Preparatória da qual foi professor durante vários anos.

A exposição poderá ser visitada até ao dia 28 de setembro, na Galeria 2 do Edifício Monsenhor Nunes Pereira, de segunda a sexta das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 19h00.
39753102 454039545108802 4757360795027767296 n 1 980 640
P1050568 1 980 640

Partilhar