Passar para o Conteúdo Principal
 
Hoje
Hoje
Máx C
Mín C

logo pampilhosa

 

Janeiro de Baixo

Na freguesia de Janeiro de Baixo deixe-se encantar pela história e pela hospitalidade das suas gentes escolhendo o secular Rio Zêzere como companheiro nesta viagem. A aldeia do Xisto de Janeiro de Baixo é a porta de entrada na freguesia - desfrute da tranquilidade do Zêzere e mergulhe na Praia Fluvial. Repouse nas margens do Zêzere, no acolhedor e afável Parque de Campismo Rural de Janeiro de Baixo.

 

imagem
imagem


PRESIDENTE:

José de Jesus Martins

imagem

 

SECRETÁRIO:

Cristina Maria Martins Santos Vaz

imagem

 

TESOUREIRO:

António Pires Mendes

Morada:
Janeiro de Baixo
3320-105 Janeiro de Baixo

E-Mail:
f-janeirodebaixo@sapo.pt 

Telefone: 
235 512 056
934 089 535

Fax:
235 512 104 

Atendimento ao Público: 
Todos os Domingos das 10h às 12h

Área Total (km2):
40,70 Km2

Número de Povoações:
8

Número de Habitantes (Censos 2011):
669

Heráldica:
imagem A bandeira é verde. Cordão e borlas de prata e verde. Haste e lança de ouro.
O brasão tem escudo de prata, dois pinheiros arrancados de verde, com pinhas de vermelho, resinados de ouro, sangrando cada um para um vaso de púrpura; em chefe, cruz da Ordem de Cristo. Campanha diminuta ondada de azul e prata de três peças. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro "JANEIRO DE BAIXO".
O selo é circular, com a legenda "Junta de Freguesia de Janeiro de Baixo - Pampilhosa da Serra".
História:

A freguesia de Janeiro de Baixo está implantada a sul do concelho, junto ao rio Zêzere, fazendo fronteira com o concelho do Fundão. Foi comenda da Ordem de Cristo e pertenceu às comendas do Padroado Real. Em 1855 deixou de pertencer ao concelho de Fajão e passou a integrar o de Pampilhosa da Serra.

Atualmente é constituída pelos lugares de Brejo de Baixo, Brejo de Cima, Esteiro, Janeiro de Baixo, Machialinho, Porto de Vacas, Safra e Souto do Brejo.   

Património Natural e Cultural:

Igreja de São Domingos - A Igreja Paroquial de Janeiro de Baixo apresenta uma arquitetura marcada por linhas simples. Segundo Virgílio Correia, o edifício atual provém de uma reforma do fim do séc. XVIII ou já do princípio do XIX. No lado direito da fachada situa-se a torre sineira, de construção posterior, rematada pirâmidalmente e albergando dois sinos (um datado de 1928 e outro de 1957).No seu interior destaca-se o altar-mor com as imagens de S. Domingos, Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora de Fátima, bem como os colaterais, dos séculos XVII ou XVIII, com Nossa Senhora da Agonia, Nossa Senhora da Conceição e Nossa Senhora de Lurdes. Estes, são em talha de madeira, predominando as figuras dos anjos que suportam as colunas, bem como as parras e pâmpanos que envolvem essas mesmas colunas retorcidas, formando motivos decorativos.

Destaca-se ainda, do nosso lado esquerdo, numa sala quadrangular, a Pia Batismal, em formato octangular e muito antiga. Esta pequena divisão encontra-se revestida de azulejos, tendo sido inseridos nestes painéis um outro que ilustra o batismo de Cristo no Rio Jordão.

Numa porta lateral deste igreja encontra-se gravada a data de 1878, ano em que Janeiro de baixo se Agregou ao Apostolado da Oração.

Parque de Campismo Rural e Praia fluvial - Com construção recente, o Parque de Campismo de Janeiro de Baixo situa-se junto à praia fluvial desta povoação. Este Parque de Campismo encontra-se equipado com 4 bungalows, tendo cada um capacidade para alojar 4 pessoas. Junto a este parque, poderá ainda beneficiar de momentos de lazer no parque de merendas ou no polidesportivo construídos recentemente.

Moinho Cravado na Rocha - Embora funcionasse essencialmente como instrumento de trabalho e tivesse como finalidade um sentido prático, não podemos deixar de considerar este moinho cravado na rocha como um ponto turístico a salientar. Num riacho que vais desaguar ao rio Zêzere, os homens souberam tirar partido do relevo natural desta zona, e construíram um moinho, cujas mós são movidas pela força da água, conjugando assim a beleza paisagística com o aproveitamento da natureza para a criação de instrumentos de trabalho mais eficazes. A água do rio era então conduzida pelos terrenos até à roda, sendo depois transmitido o movimento desta até à mó. O moinho é constituído por um único piso com interior amplo.

Ainda se encontra gravada, numa parede interior do moinho, a data de 21-11-1955, altura em que se terá realizado alguma intervenção.

Orago

S. Domingos, celebrado anualmente no 4º Domingo de Agosto.

Links

Partilhar