Passar para o Conteúdo Principal
 
Hoje
Hoje
Máx C
Mín C

imagem

 

APEE em Pampilhosa da Serra para premiar empresas e entidade públicas

Geral
Reconhecimento de pr ticas site  1 980 2500
21 Setembro 2018
Ontem, dia 21, o Município de Pampilhosa da Serra, recebeu a 4ª Cerimónia de Atribuição do Reconhecimento de Práticas em Responsabilidade Social e Sustentabilidade, promovida pela a APEE – Associação Portuguesa de Ética Empresarial.

Pela primeira vez, a cerimónia deslocou-se de Lisboa para o centro do país, naquela que a organização considera uma “homenagem à resiliência das populações afetadas pelos trágicos incêndios de 2017.”

“Ficamos muito agradecidos quando iniciativas destas vêm ao nosso encontro. Ajudar é vir, estar connosco”. As palavras são de José Brito, Presidente da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra que depois de enaltecer a descentralização desta iniciativa, procurou alertar os empresários e empreendedores presentes para as crescentes adversidades que os territórios de interior enfrentam. “O nosso grande problema é fazer com que o investimento neste território gere emprego para de alguma forma segurar a nossa juventude. É preciso perceber estas dificuldades e ter a coragem para investir, no fundo para poder travar tudo isto que tem sucedido nos territórios de interior ao longo dos anos”, referiu.

Em análise estiveram 38 boas práticas candidatas às diferentes categorias em dois eixos distintos: Responsabilidade Social e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Esta iniciativa, procurou assim distinguir a implementação de políticas e modelos de boa governação em organizações dos setores público e privado, com e sem fins lucrativos, que criam valor para as suas partes interessadas e contribuem ativamente para o desenvolvimento sustentável.

De facto, os conceitos de desenvolvimento sustentável e responsabilidade social, constituíram-se como os temas centrais desta cerimonia. No discurso inaugural, Mário Parra da Silva, fundador da APEE, considerou que o mundo empresarial enfrenta hoje uma “nova economia global, com uma nova ética”, na qual a economia está ao serviço da comunidade e não serve exclusivamente para “enriquecimento dos acionistas”. Para o Chair of the board da Global Compact Network Portugal, é na geração que ainda não nasceu que mais temos de pensar, pois tem o direito de receber mais do que aquilo que nós recebemos”. Nesse contexto, referiu que a responsabilidade social chama atenção das empresas para o que elas podem fazer pela envolvente: os seus próprios trabalhadores e tudo aquilo que as rodeia”.

Ao longo da sessão, entre prémios de reconhecimento de práticas e menções honrosas, foram entregues 24 distinções a empresas, entidades públicas e organizações da economia social, sendo que é de realçar a menção honrosa atribuída à Santa Casa da Misericórdia de Pampilhosa da Serra, na categoria Comunidade.

 

  • Img 3508 1 980 640
    Img 3508 1 139 90
  • Img 3545 1 980 640
    Img 3545 1 139 90
  • Img 3560 1 980 640
    Img 3560 1 139 90
  • Img 3605 1 980 640
    Img 3605 1 139 90

Partilhar